terça-feira, 30 de março de 2010

sexta-feira, 26 de março de 2010

Workshop de Páscoa na Biblioteca Escolar

Mais uma vez a biblioteca da nossa escola esteve animada com um workshop, desta vez workshop de páscoa. Os meninos tiveram assim portunidade de elaborar desenhos, caixinhas de páscoa, cestinhas, decorações, envelopes, sempre sob a orientação atenta da dª Guida. Os alunos gostam sempre muito deste tipo de actividades, pelo que serão de continuar.














Biblioteca "palco" de filmagens para o Ponte nas Ondas

No passado dia 19 de Março, a nossa biblioteca foi palco de filmagens para o projecto "Ponte na Ondas", pela turma do 10º C, tendo a docente responsável pelo projecto ao nível de escola, prof. Catarina Rocha, entrevistado o sr. Diamantino Vale Costa sob o tema "Tesouros dos Nossos Avós". O professor Alexandre Martins colaborou dando apoio técnico que contou também com o apoio da associação AO NORTE. O filme pode ser visto aqui

terça-feira, 23 de março de 2010

Inácio Nuno Pignatelli na nossa Biblioteca

O escritor Inácio Nuno Pignatelli esteve na nossa biblioteca a assinalar o dia Mundial da Poesia, tendo-nos brindado com uma sessão de poemas do livro "Poemas de Luta e Alvorada", a publicar em breve. Foi muito agradável a conversa que os alunos mantiveram com o escritor.



Ficam também algumas fotos

"QUEM SABE LÊ " - RESULTADOS DO CONCURSO DE LEITURA

Já foram apurados os vencedores do concurso "Quem sabe lê", promovido pela Biblioteca Escolar no âmbito da Semana da Leitura.
Na categoria do 2º ciclo, ficou em 1º lugar o grupo composto por alunos do 6º C
  • Sónia Pereira
  • Maria José Cruz
  • David Alves
  • Joel Oliveira
Do 3º Ciclo temos o grupo de alunas do  8º B
  • Cristiana Barbosa
  • Liliana Queirós
  • Marta Ribeiro
  • Susana Sá
Do Secundário ficaram em 1º lugar, as alunas do 12º A
  • Rita Silva
  • Samanta Filipe
  • Anabela Cunha
  • Joana Varajão

Outras formas de LER

Numa altura em que se fala também na promoção de hábitos de leitura  nunca é demais relembrar que há outras formas de ler, igualmente válidas, igualmente importantes.
Veja-se como lê um menino da educação especial da nossa escola.

domingo, 21 de março de 2010

Bethânia recita Fernando Pessoa

A revista brasileira “Bravo!” colocou no seu site o vídeo da cerimónia de atribuição da medalha da Ordem do Desassossego, à cantora Maria Bethânia, no Rio de Janeiro, pela directora da Casa Fernando Pessoa, Inês Pedrosa. Aqui fica o vídeo.

terça-feira, 16 de março de 2010

Interrupções Poéticas

O desafio era promover uma actividade que fomentasse a articulação entre os alunos do agrupamento de diferentes níveis de ensino e ao mesmo tempo que promovesse a leitura. As docentes do 4º ano do Centro Escolar de Cerveira prontamente o aceitaram e prepararam os seus alunos para virem interromper os 5ºs, os 6ºs e os 7º anos, com a leitura de uma poema ou de uma adivinha em forma de poema. Por outro lado, a turma do 5º C, e o professor Jorge Resende, foi ao Centro Escolar de Cerveira interromper os 3ºs e 4ºs anos. Foi bonito ver os alunos a recitar publicamente poemas. Um agradecimento aos docentes envolvidos.
Ficam as fotos dos alunos do 5º C.

segunda-feira, 15 de março de 2010

Tertúlia Literária

Autodidacta, tocador de concertina, escritor de histórias, Diamantino Vale Costa esteve connosco, na biblioteca escolar, na semana da leitura, para nos falar de lendas e histórias de Cerveira.
O senhor Diamantino foi muito simpático, falou-nos da sua infância pobre, da importância que a leitura teve na sua vida e deixou-nos um magnífico provérbio indiano “ Um livro aberto é um cérebro que fala, um livro fechado é um amigo que espera, um livro destruído é uma alma que chora”.
Após as suas sábias palavras, fizemos-lhe algumas perguntas que ele respondeu com toda a amabilidade.
Alunos 6C: Quando começou a escrever?
Diamantino Costa: Comecei a escrever na escola primária, as minhas redacções do 10 de Junho(Dia de Camões e de Portugal) eram sempre escolhidas para serem lidas em voz alta na turma. Depois escrevi textos para o Cerveira Nova. Também escrevi histórias juvenis para o Primeiro de Janeiro. Mais tarde em 1080, publiquei o meu primeiro livro “Equinócios e Solstícios”, em edição de autor.
Alunos 6C: Onde se inspirou para escrever o conto “Zé da Borralha” ( Histórias Singelas do Alto Minho)?
Diamantino Costa: Inspirei-me num amigo, o Zé da Borralha, que me contou a sua vida , achei-a muito interessante e resolvi escrevê-la porque nos transmite um ensinamento e apela para valores, eu gosto de transmitir valores nas minhas histórias.
Alunos 6C: Que temas aborda, actualmente, na sua escrita.?
Diamantino Costa: Actualmente, faço investigação sobre as tradições e história de várias freguesias do nosso concelho. Consulto actas de assembleias municipais (antigas), e falo com as pessoas mais velhas que sabem muito sobre as tradições da sua terra.
O nosso encontro terminou já a manhã acabava, gostámos muito de conhecer um autor da nossa terra, de saber mais sobre a sua vida e de o escutar. Aprendemos a valorizar o património escrito e oral do nosso concelho.
Alunos do 6º C 

quinta-feira, 11 de março de 2010

A MANTINHA CONTA HISTÓRIAS

"A Mantinha Conta Histórias" é o nome de um projecto que têm vindo já a ser desenvolvido desde o início do ano com a docente de Educação Tecnológica, Teresa Bouça Nova. O desafio foi lançado pela Biblioteca Escolar e consta no seguinte: os alunos do 7º A elaboram uma manta de retalhos para oferecer à Biblioteca do Centro Escolar de Cerveira, a fim de ser usada pelos alunos do pré-escolar na sua horinha do conto. A oferta da manta será no terceiro período em que os alunos terão que se deslocar ao Centro para oferecer aos meninos do Jardim a matinha.


Olhem que alunas tão entusiasmadas!! 
Já se vê como vai ficar linda a manta 
 
aqui todos trabalham
 
detalhe na elaboração da manta
 

"A Saga" ilustrada por alunos do 8º B

Mais uma vez, o professor Alberto e as docentes de língua portuguesa colaboraram com a biblioteca, desta vez na ilustração de "A Saga" de Sophia de Mello Breyner, obra que os alunos estudaram nas aulas. O painel, pode ser visto na biblioteca.

Entrega de prémios relativos ao "Melhor Conto de Natal"

Também durante a Semana da Leitura se fez a entrega de prémios relativos ao concurso "O Melhor Conto de Natal". Para os primeiros lugares o prémio foi um livro e para os 2º e 3º lugares um prémio bem saboroso: um chocolate dos grandes. Para todos houve a entrega de diplomas de participação. Ora veja-se como estamos tão bem nas fotos.

O 1º PRÉMIO

Um amigo diferente
Sou o Manuel e vou contar o que me aconteceu no Natal passado, história triste a minha. Tudo começou com uma visita de estudo.
Viajei até ao continente Africano, mais precisamente para Serra Leoa, terra de abusos e escravatura.
Eu e minha turma montámos as tendas no parque de campismo.
Nessa noite ouviam-se barulhos de tiros, crianças a gritar até que vi uma sombra, abri a tenda e encontrei um menino muito assustado, deixei-o entrar. Ambos amedrontados decidimos divulgar um pouco a vida de cada e chegamos à conclusão que éramos de mundos distintos. Estávamos na época Natalícia, eu tinha todos os anos prendas e o menino nunca tivera nenhuma.
Na manhã seguinte, eu e a turma explorámos a selva e regressámos às tendas, no fim da tarde.
No dia seguinte pensei na situação de vida do Francisco meu amigo de Serra Leoa e decidi ajudá-lo. Falei com os meus pais e tomei a decisão madura de fazer uma reclamação ao Pai Natal.
Escrevi-lhe uma carta dizendo-lhe:
“Olá Pai Natal!
Não pense que isto é a minha lista de presentes, isto é uma reclamação e um pedido.
Este Natal deparei-me com coisas horrorosas e, para estar a dizer isto, é porque vi com os meus próprios olhos. Eu tenho um amigo com um caso de vida complicado e como ele há muitos mais, mas como amigo sinto-me na posição de ajudá-lo e queria que você lhe dessa uma prenda, peço por favor.
Pense neste caso!”
O Pai Natal emocionou-se ao ler a carta e fez o que lhe pedi.
Tanto eu como o Francisco recebemos pelo menos uma prenda, foi um Feliz Natal!
Nas férias de verão fui ter com o meu amigo e contei-lhe o que fiz, e ele adorou o meu acto para com ele e assim ficámos amigos.
Ao lerem este texto irão perceber que neste Natal deverão dar algo para a caridade e para ajudar estes meninos.

Rafael Gomes

O 2º PRÉMIO

O Egoismo de Roberto

¬ Estávamos na época natalícia e New York encontrava-se coberta de luzes e enfeites. Numa casa situada no meio da cidade vivia Roberto e os seus pais, que naquela noite, como era costume, foram às compras. Quando chegaram à Quinta Avenida, Roberto começou:
- Quero aquela nintendo! Quero aquele carro!
Nessa noite não teve muita sorte, porque os pais só lhe deram um brinquedo.
Quando chegaram a casa, a mãe pediu a Roberto que escrevesse uma carta ao Pai Natal. A carta do Roberto dizia: “Pai Natal, este ano quero um carro, uma mota, dois telemóveis, um computador para juntar aos dois que já tenho, (...) não te esqueças do cofre para o meu dinheiro.”
Na noite de 24 de Dezembro chegava o Pai Natal, estacionou as renas no telhado da casa e entrou pela chaminé. Quando caiu no fundo da chaminé, viu uma árvore cheia de presentes, então olhou em volta e reparou numa porta que dizia “Roberto”. O Pai Natal lembrou-se logo da carta que ele lhe mandara e resolveu entrar, foi à beira dele e acordou-o:
- Roberto! Roberto!
- Ah! Pai Natal.
- Quero que venhas comigo, vou mostrar-te uma coisa. - disse o Pai Natal.
- Sim vou.- respondeu roberto.
Lá foram, o Pai Natal mostrou-lhe países de África, entre eles Angola, Moçambique, Serra Leoa, Guiné...
-Vês Roberto, no mundo há muitas crianças que não têm um brinquedo, e tu tens tantas coisas e ainda queres mais.
Regressaram a casa, o Pai Natal deixou Roberto e foi-se embora, este ficou a pensar. De manhã encheu dois sacos com brinquedos e foi entregá-los à igreja para os levarem para África.
A partir daí Roberto foi um menino mais compreensivo e menos materialista.

Cátia Pereira

O 3º PRÉMIO

O Menino Pobre

Na manhã de 23 de Dezembro de 1924, a neve cobria o caixote do lixo deitado no chão onde a família de um menino pobre vivia, em Londres. O menino sentiu frio, então os pais deram-lhe a pouca roupa que tinham, o frio era imenso! Passado algum tempo, os pais começaram a ficar roxos até que morreram.
O menino, quando deu conta da morte dos pais, começou a entrar em pânico e a chorar. Ele sabia que toda a gente que nasce tem de morrer, mas a dor era muita. No mesmo dia, os polícias que andavam a rondar a rua, encontraram o menino e levaram-no para um orfanato.
Ele pensou:
- Este vai ser o pior Natal de sempre!
Passado um dia, no orfanato abriu-se uma porta e entraram um homem e uma mulher magnificamente vestidos e disseram para o menino:
- Onde está a senhora ou o senhor que toma conta de vós?
O menino encantado com aquelas pessoas apontou para o escritório e disse:
- A senhora Julieta está ali dentro.
Então o senhor e a sua mulher foram até ao escritório e entraram. Lá dentro conversaram bastante até que se ouviu:
-Então podiam ser a família de acolhimento do menino novo que entrou para aqui!
O menino ouviu e pensou para ele:
- Que espectáculo, mas mesmo assim vai ser o primeiro Natal sem os meus pais!
O homem e a mulher saíram e disseram ao menino pobre:
- Queres que nós sejamos a tua família de acolhimento?
- Está bem – respondeu o menino um bocado tímido.
- Então agora vem connosco.
Ao chegar a casa, a sua nova mãe levou-o para o seu quarto e deu-lhe uma roupa novinha em folha.
- O que queres comer? – perguntou a mãe.
- Eu como qualquer coisa. - pediu o menino com receio.
- Claro, claro que sim. - respondeu a mãe.
No dia seguinte, dia de Natal, duas horas antes da meia-noite o menino pensou:
- Vai ser este ano que eu vou ter um Natal feliz.
De repente apareceu o pai adoptivo e disse:
- Estás a gostar de viver aqui?
- Sim, estou mesmo. - respondeu o menino.
Deram as doze badaladas e o pai e a mãe sugeriram:
- Vai abrir os teus presentes.
O menino abriu um presente e ficou fascinado com o que viu, num havia uma fieira de ouro com o seu signo gravado numa chapa com cor dourada e noutro que era quase do seu tamanho, estava um carro de bateria para brincar.
E assim foi o Natal feliz do menino pobre que agora tinha uma família para lhe dar apoio e muito mimo.

Nuno Gonçalves

sexta-feira, 5 de março de 2010

DESCOBRIR CHOPIN

Também a música foi contemplada no programa da semana  da Leitura. A propósito do bicentenário do nascimento de Chopin, no dia 1 de Março, as docentes de Música  dinamizaram um workshop onde falaram sobra a vida do "pianista poeta" e deram a ouvir alguns trechos da sua música. Foram duas sessões muito concorridas, tendo contado com a presença de todos os alunos que têm a disciplina de Educação Musical.




ALUNOS DO 5º ANO NO ATELIÉ LANTERNA MÁGICA

A Biblioteca Municipal decidiu associar-se a nós na comemoração da Semana da Leitura com a dinamização do Atelié Lanterna Mágica. Destinado a estimular a criatividade e imaginação, bem como a capacidade de reconstrução narrativa, todos os alunos revelaram grande motivação aquando a actividade.

Aspecto da sala no início da actividade
Os dinamizadores da actividade
alunos bem interessados
Vejam como se dá o processo. É assim que tudo funciona.
a dinamizadora a contar a história do Zé das Moscas de António Torrado
Olhem como eu desenho tão bem!


quinta-feira, 4 de março de 2010

"QUEM LÊ SABE" - CONCURSO DE LEITURA

Nesta semana da leitura não poderia faltar um concurso.
Neste concurso, os alunos têm que responder a algumas questões relacionadas com os livros e a leitura. Há questões para todos os níveis de ensino e aos grupos vencedores irão ser atribuídos prémios.





Diamantino Vale Costa na nossa Biblioteca

Que melhor começo para a programação da semana da Leitura do que receber Diamantino Vale Costa para nos falar sobre as "Lendas e Histórias de Cerveira"? Foi com muito interesse que os alunos de várias turmas e os seus professores nos acompanharam nessa viagem, nesse retratar de um viver bem distamte do nosso, mas que nem por isso nos pertence menos. Foi muito agradável a tertúlia com o Sr. Diamantino que gentilmente aceitou o nosso convite. A ele e a todos os que participaram na actividade, o nosso agradecimento.

Aspecto geral da sala no início da conversa

Todos tão atentos. E que bem preparados eles estavam. A professora Manuela Campos a fazer uma pergunta ao sr. Diamantino.
Bem interessados estes alunos.
E quem quer fazer mais uma pergunta?

segunda-feira, 1 de março de 2010

PROGRAMA SEMANA DA LEITURA

Colegas, fica o programa para a Semana da Leitura. Contamos com a vossa participação.